Paródias

Entre os vídeos de Whindersson Nunes que mais fazem sucesso não podemos deixar de destacar as paródias.

E a razão é simples: ele se tornou um fenômeno na internet exatamente após a divulgação de uma paródia, intitulada “Alô vó, tô reprovado”. O vídeo, de 2012, foi o primeiro a garantir um grande número de visualizações no Youtube para o comediante após se tornar um viral: mais de 5 milhões.

Devido ao sucesso de suas paródias, Whindersson Nunes continuou realizando-as com determinada frequência – principalmente com grandes sucessos musicais.

E o resultado tem sido positivo: a paródia intitulada “Qual é a senha do Wi-fi”, da música ‘Hello’, da cantora Adele, concentra mais de 34 milhões de visualizações – sendo este o vídeo mais popular e mais visto do canal do youtuber.

Outras paródias também criadas pelo youtuber são:

• Eu Virei Gay – com a música ‘Sosseguei’, da dupla de sertanejo Jorge e Mateus;
• Escreve aí – com a música de mesmo nome de Luan Santana;
• No Instagram – paródia com a música ‘Heart Attack’, da cantora Demi Lovato;
• Corre da tua mãe – com a música ‘Corre’, de Gabi Luthai;
• Esperando sinal da Tim Voltar – com a música ‘Te esperando’, de Luan Santana;
• Ela é “pôdi” – com a música ‘Ela é Top’, do Mc Bola com a participação do jogador Robinho;
• Tuts Tuts não passei – com a música ‘Pensando em Você’, de Edy Demond.

Atualmente, a melhor paródia de Whindersson Nunes é “Qual a senha do Wi-fi”, com a música Hello, de Adele. Não à toa, até hoje ela concentra o maior número de visualizações que o youtuber e comediante já atingiu com os seus vídeos de humor.

Porém, outra paródia que também segue na mesma linha é a ‘Virei Gay’, da música ‘Sosseguei’ (dupla sertaneja Jorge e Mateus). Isso porque a paródia, além de ter a letra engraçada, também tem um clipe superdivertido e parecido com o original da dupla – o que fez com que Whindersson Nunes esteja chegando a quase 12 milhões de visualizações com ela.

Já a paródia que consideramos a pior já realizada por Whindersson Nunes é a “Ela é pôdi” – o que pode ser justificado pela falta de variedade (já encontrada na própria música original).